quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Feliz Natal! Até 2.011!

!Para todos os leitores do blog, desejo um Natal muito feliz e que o novo ano seja repleto de coisas boas, muitas alegrias ao lado de nossos queridos peludos! E que seja também um ano onde mais e mais pessoas possam se conscientizar da importância de garantir uma vida completa e feliz aos cães (e animais em geral)!

O blog volta em 2.011, com novidades e muito pique para continuar difundindo conhecimento, ideias e ideais para quem gosta de cachorros!! Agora, férias coletivas!!


sábado, 18 de dezembro de 2010

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Banhos com que frequência?

Muitas pessoas acham essencial, muito importante, dar banho em seu cão pelo menos uma vez por semana. Sei, inclusive, de outras que levam o peludo ao pet shop duas vezes por semana pois, se assim não fizerem, o "cheirinho" começa a surgir...

Ora, eu tenho uma opinião bem consolidada quanto a isso: pessoas que não gostam de cheiro de cachorro, simplesmente NÃO DEVERIAM TER UM CACHORRO COMO COMPANHIA!

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Vídeo - Marketing Pessoal

Vídeo engraçadinho! Pena que os cães disponíveis para adoção não tem como fazer um marketing pessoal como esse...




sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Medo de fogos no Ano Novo - dicas para ajudar o peludo...

O novo ano se aproxima e, com ele, as tão aguardadas festas de Réveillon!

Mas, para muitos cães, este momento pode ser sinônimo de medo extremo, o que não é nada bom... Por isso, é importante que todos os que convivem com um cão saibam identificar essas situações e saber como lidar com elas.

Já postei sobre o assunto aqui durante a Copa do Mundo, mas nunca é demais falar sobre aquilo que ajudará os amigos de quatro patas a se sentirem melhor...



 

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Cães que dormem com os donos - isso é bom?

Pesquisa divulgada este ano pela Comissão de Animais de Companhia (Comac), mostrou que 55% dos cães dormem dentro de casa e 23% dentro do quarto dos donos.

Principalmente nas grandes cidades, onde muitos residem em apartamentos com seus cães, é cada vez mais comum saber que os amigos de quatro patas dormem no quarto ou até mesmo na cama de seus donos, principalmente se forem de pequeno porte.

Mas, diante desta nova realidade, quais são as consequências desta rotina para o comportamento do cão? Será que isso é bom ou ruim?

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Nossa história no "Amo Cachorros"!

A semana começou no mais alto astral! A querida Priscila Magalhães me convidou para contar minha história com a Winie em seu blog, o delicioso Amo Cachorros.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Lucy, a cadelinha que subiu 12 km em uma cadeira de rodas canina!

A história de Lucy é repleta de tanta coisa boa...  Tudo começou quando a pequena foi resgatada em Porto Rico, após ter sido atropelada. Tratada, foi adotada pela corredora de maratonas americana, Courtney Dunning, que providenciou para a peluda uma cadeira de rodas canina, já que, após o acidente, ela ficou com as duas patas traseiras paralisadas.


quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Férias no hotelzinho: cuidados especiais para preparar o peludo

As festas de fim de ano estão chegando e com elas também o tão esperado período de férias de verão. Muitas pessoas aproveitam este período do ano para viajar.

Mas e os queridos peludos? Como fazer? Com quem deixá-los na impossibilidade de curtirem a viagem com a família?

domingo, 28 de novembro de 2010

Socorro! Pseudociese canina, ou gravidez psicológica - que bicho é esse?

Desde o início da semana passada, notei que a Winie começou a apresentar comportamentos diferentes: estava mais manhosa, sem apetite. Como não apresentou diarréia nem vômitos, estava brincando normalmente, fiquei atenta mas não achei que fosse nada grave. 

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Você convive com uma cadelinha? Sabe o que é piometra? Não?!? Então leia já!

A piometra é uma doença bastante grave, que acomete as fêmeas e pode levar a óbito rapidamente. Trata-se de infecção no útero, que se enche de pus. Em muitos casos, só é percebida quando o quadro já é bastante grave.

A Camilli, do Blog de uma Criadora que Ama seus Frenchies, publicou um excelente artigo sobre o tema, que merece a mais ampla divulgação. Para ler, basta clicar aqui.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Raças - Pastor Alemão

Segundo a Larousse dos Cães, o Pastor Alemão é, atualmente, o cão mais conhecido e difundido do mundo!

Com seu porte atlético e imponente, olhar penetrante, cores variadas e aquela carinha de lobo, cães desta raça possuem uma legião de fãs globo afora.

Mas qual será o motivo de tanto sucesso?

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Vídeo com dicas da Cão Cidadão - Como aproximar cães que brigam

Este vídeo traz dicas interessantes para uma aproximação segura de cães que brigam.

Importante: o ideal, em qualquer caso de agressividade, é consultar um profissional especializado em comportamento canino.


domingo, 21 de novembro de 2010

sábado, 20 de novembro de 2010

O que é Terapia Assistida por Animais (TAA) e Calendários INATAA

A Terapia Assistida por Animais é mais uma atividade que o melhor amigo do homem realiza para auxiliar no tratamento de seres humanos com alguma limitação física e/ou mental.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Vídeo - Dog Prays

O amigo Matheus indicou este vídeo lá no Facebook e eu não poderia deixar de colocar aqui algo tão terno!

Obrigada, Matheus!




quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Estudo mostra que, para reconhecer os donos, os cachorros olham para o rosto deles... Será?

Esta notícia me deixou bastante pensativa.

Até onde sei, os cães tem o olfato como o principal dos sentidos. E agora, segundo esta notícia (extraída do site do Dr. Wilson Grassi, veterinário comprometido com a causa animal), cães olham para o rosto dos donos para reconhecê-los.

A matéria dá a entender que este seria um reflexo da domesticação dos cães. O que se pode afirmar, com certeza, é que cães nos observam o tempo tudo, muito mais do que nós a eles!

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Quer viajar com seu pet? Paraty é uma opção legal!

Foram três dias deliciosos em Paraty - RJ, apesar do gigantesco congestionamento na volta! E chegou a hora de contar minhas impressões de mais uma viagem com a Winie, para dividir com todos como é divertido viajar ao lado do companheiro de quatro patas!

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Dicas para viajar com seu cão de carro

O feriado está chegando e quem já viajou acompanhado pelo seu cão sabe como é divertido!

Assim, aqui vão algumas dicas para que os momentos dentro do carro sejam também prazerosos:

* mantenha o cãozinho seguro por um cinto de segurança próprio para cães, ou confortavelmente instalado na caixa de transporte;

* se o cachorro enjoa no carro, vale uma conversa com o veterinário para indicação de medicamentos que evitam este desconforto;

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Dica de Livro - A Cabeça do Cachorro

Estou lendo um livro excelente para todos os amantes de cães: A Cabeça do Cachorro, de Alexandra Horowitz.

Capa da edição americana: "Inside of a Dog"

A autora é Doutora em Ciência Cognitiva e Professora de Psicologia no Barnard College, Columbia University, tendo estudado cognição em rinocerontes, macacos e cachorros.

domingo, 7 de novembro de 2010

Viajar com seu cão

No Brasil, apesar de já ser possível encontrar hotéis e pousadas onde cães são aceitos, ainda não é fácil conseguir estar junto com o amigo de quatro patas durante uma viagem em família.



Atribuo esta realidade a dois fatores:

1 - pessoas ainda não tem a consciência de que, para um cão poder estar com ela em vários lugares, precisa ser EDUCADO e OBEDIENTE. Como fazer isso? Treinando-o cão obediência básica e praticando sempre!

2 - em razão da falta de bom senso das pessoas, seus cães que não conhecem limites, muitas vezes causam inúmeros transtornos em hotéis. Assim, infelizmente, acaba vigorando a regra segundo a qual "os bons pagam pelos maus".

Em outros país, a realidade é outra. Nos EUA, por exemplo, o maior mercado pet do mundo, empresários preocupam-se cada vez mais em criar chamarizes para donos de cães. O Sniff Dog Hotel, hotel de luxo para cães localizado em Portland, Estados Unidos, criou um espaço para os donos curtirem um happy hour perto dos amigos pet (veja a matéria aqui). Exageros à parte, a matéria serve para ilustrar como situação semelhante é tratada mundo afora.

Já estivemos hospedados com a Winie em 03 lugares diferentes e as experiências foram ótimas! Ela se comportou, esteve conosco, conheceu muitas pessoas e outros cães!

Recentemente, fiz uma pesquisa em 12 pousadas e hotéis em Paraty/RJ, para poder levá-la conosco em uma viagem há algum tempo já programada. Somente 03 me retornaram com a informação de que os hóspedes podem levar seus cães (detalhe: a Winie é pequena,pesa 5,5, kg... Não sei se teríamos sucesso se tivéssemos um Labrador de 30 kg!). Fiquei muito contente em encontrar uma de nosso grado e iremos com a companhia da amiga canina! E pretendo relatar momentos da viagem aqui no blog, para dividir com todos os "cachorreiros" uma experiência tão gostosa!


segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Mais um vídeo do Jesse

Como me tornei fã do Jesse, mais um vídeo deste lindo Jack Russell:




sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Raças perigosas ou seres humanos irresponsáveis?

Comentários feitos por um "Anônimo" aqui no blog, no post sobre Rottweilers, servem para deixar cada vez mais claro para mim o quanto o preconceito das pessoas pode culminar em abandono de cães, apenas por pertencerem a determinada raça.

A falta de conhecimento das pessoas acerca deste assunto, sobre o qual teimam em opiniar veementemente, é impressionante!!


Coincidentemente, a Arca Brasil publicou, neste mês de outubro, interessante matéria sobre as características dos cães mais rejeitados (pensando tanto no abandono como na dificuldade para adoção). Evidentemente que, dentre estes estigmatizados, estão os pertencentes a "raças agressivas", especialmente os Pit Bulls. Vale a leitura para uma reflexão mais aprofundada, clicando aqui.

Também no site da Arca Brasil já foi publicado um roteiro sobre posse responsável de raças ditas "agressivas", que transcrevo abaixo devido a sua importância:

Guia Básico de Procedimentos para as chamadas “raças agressivas” relacionadas na Lei da Focinheira 11.531/03  (pit bull, mastim napolitano, rottweiler e american staffordshire terrier)

Nunca adquira um animal por ele estar na moda; tenha consciência do seu perfil e estilo de vida. Pratique os 10 mandamentos da Posse Responsável;

Procure conhecer a procedência do animal e escolha sempre os filhotes de linhagens não agressivas;

A castração é um ato de responsabilidade social e saúde pública. Pode atenuar o comportamento agressivo de alguns animais, além de ser fundamental para evitar crias indesejadas e abandonos;

Registro Geral Animal (RGA) com plaqueta e identificação permanente (microchip ou tatuagem): é fundamental para o Controle Animal de sua cidade e responsabilizar donos inconseqüentes;

Leve seu animal regularmente ao veterinário (mínimo uma vez por ano). Atenção especial para as vacinas e vermifugação do seu pet. A alimentação deve ser feita de forma balanceada, já existem rações específicas para algumas raças;

Cortar o rabo (caudectomia) não é recomendável e o corte das orelhas (conchectomia) é proibido pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), os dois procedimentos podem trazer riscos à saúde do animal;

Passeie diariamente com o seu animal e reserve no mínimo um dia da semana para brincar com ele;

O espaço tem que ter no mínimo 6m², com uma área para se abrigar e tomar sol. Não isole o animal em um único ambiente, ele precisa ter noção do mundo ao seu redor;

Focinheira: o uso em lugares públicos é obrigatório, porém, peça a orientação na hora da compra. O modelo ideal deve permitir que o animal abra a boca para respirar e beber água;

Procure um bom adestrador, aprenda sobre os comandos básicos, treino de obediência, socialização e as características comportamentais da raça.

Fonte: Comissão de Especialistas sobre Comportamento Animal – ARCA Brasil


 
Conhecimento e divulgação de novos paradigmas são fundamentais para que se consiga mudar uma realidade já tão enraizada!

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Cão farejador ajuda na preservação de baleias

Recebi o link da querida Thaís e achei muito interessante!

Cães treinados para farejar as fezes de baleias ajudam em sua preservação, já que as fezes, ao serem analisadas, trazem inúmeras informações sobre estes animais fascinantes.

Imagem: Folha UOL


Mais uma vez, temos os amigos de quatro patas prestando enorme ajuda em questões de extrema importância! Mas desta vez, ajudam as "gigantes dos mares"!

Quer ler a matéria na íntegra? Clique aqui.

Imagem: Folha UOL

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Vídeo - MUITOS truques úteis para ensinar ao cão...

Este vídeo mostra um Jack Russell Terrier muito bem adestrado. Aliás, esta raça é extremamente ativa e aprender tantos truques torna-se uma verdadeira necessidade (do contrário, ele irá gastar sua energia em outras coisas...).

O interessante é pensar que muitos dos comandos que ele aprendeu (através de reforço positivo = ganhando recompensas!), são também ensinados a cães de trabalho que auxiliam pessoas com necessidades especiais.

É possível imaginar a diferença que um cão como este pode fazer na vida de uma pessoa com dificuldades de locomoção! Quanta independência e alegria ele pode proporcionar, além de auxiliar em tarefas cotidianas que podem ser um tormento em determinadas condições, como tirar os sapatos, abrir e fechar portas, buscar objetos, etc.

Não é demais?!?!





sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Curso e Workshop de Comportamento Canino, com Alexandre Rossi - 23 e 24 de Outubro, em SP

Vale a pena, para quem tem interesse em saber mais sobre comportamento canino. 

Informando que soube do workshop no blog da Cassia, será prorrogado o desconto para aqueles que fizerem a inscrição até quarta-feira próxima, dia 20 de outubro.



Curso e Workshop de Comportamento Canino com Alexandre Rossi, Estopinha e Equipe!

Datas: 23 e 24 de outubro de 2010

Horário: das 10h às 18h

Local: Prédio do Jornal Gazeta de Pinheiros

Endereço: Rua dos Pinheiros, 423, Pinheiros

Ponto de referência: Próximo do cruzamento da Avenida Rebouças com a Rua Henrique Schauman.
Serão obordados temas como compulsão, agressividade, ansiedade de separação, fobias, entre outros. O Curso e Workshop oferece apostila e certificado.
Investimento:
Para inscrições até o dia 13.10: R$ 400,00

Forma de Pagamento:

R$ 200,00 no ato da inscrição via depósito bancário, DOC ou transferência pela internet, e R$ 200,00 para o primeiro dia do curso, 23.10, em cheque ou dinheiro.
Para inscrições a partir do dia 14.10: R$ 480,00

Forma de pagamento:

R$ 280,00 no ato da inscrição via depósito bancário, DOC ou transferência pela internet, e R$ 200,00 para o primeiro dia do curso, 23.10, em cheque ou dinheiro.

Para mais informações ligue para 11 3571.8138, 11 7814.2633,

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Caixas de transporte podem fazer milagres!

A utilização de caixas de transporte tem sido cada vez mais difundida entre aqueles que convivem com cães. E por que? Por conta de sua utilidade e da possibilidade de proporcionar bem estar aos cães!

Sim, bem estar. Muitos acreditam que deixar um cão fechado numa caixa de transporte é uma tremenda injustiça com o bichinho. Mas a realidade é justamente o contrário: quando habituados à sua caixa, os cães se sentem seguros e confortáveis, e acabam procurando sua “casa “ mesmo quando não solicitado!

BENEFÍCIOS

Habituar um cão a ser mantido na caixa de transporte traz mais benefícios do que as pessoas imaginam:

* quando filhote, o cão que fica por determinados períodos dentro da caixa de transporte, terá oportunidade de descansar em paz, livre de aborrecimentos causados especialmente por outras pessoas, encantadas com o filhotinho fofo, mas que também tem necessidade de muito descanso;

* este mesmo filhote poderá ser ensinado a fazer as necessidades no lugar certo com o uso da caixa de transporte. Sim, é verdade! Como? Mais detalhes, logo adiante;

* quando se tem a intenção de levar o cão para um passeio, e o carro for a melhor alternativa, a caixa de transporte garantirá a devida segurança ao amigo peludo. Em caso de acidente, por mais banal que seja a “batida”, um cão estará mais seguro solto no banco de trás, ou dentro da caixa de transporte, devidamente amparada e presa por um cinto de segurança?

* em caso de viagem por via aérea, a única forma de levar o cão será dentro de uma caixa de transporte. Apesar de muitas companhias já abrirem exceções e permitirem cães na cabine, na maior parte das vezes, eles devem, de qualquer forma, ser mantidos em caixas de transporte. Cães de grande porte, vão no compartimento de bagagem. Onde? Dentro de uma caixa de transporte. Assim, se o cão já estiver acostumado a ficar dentro de sua própria caixa, certamente a experiência será muito mais tranquila!

* filhotes tendem a ser destrutivos. Na falta de estímulos corretos, e também brinquedos apropriados para morder, roerão o que encontrarem pela frente! Na caixa de transporte com seus brinquedos de roer, o filhotinho estará entretido e não destruirá móveis e objetos adorados pelos humanos...


ATENÇÃO: as caixas de transporte NÃO servem para que o cão seja mantido ali o dia todo, o tempo todo! Não é este o objetivo! Como afirmo e reafirmo incansavelmente: cães são animais extremamente sociais, que precisam de convivência com pessoas, outros cães e outros animais, para serem mentalmente saudáveis. A caixa de transporte deve ser utilizada por períodos de tempo, sendo, nestas ocasiões, o “canto”, o “quarto”, a “toca” do cão!

O MODELO IDEAL

Existem inúmeros modelos de caixa de transporte à venda em pet shops e lojas especializadas. Pelo que tenho visto, o ditado “o barato sai caro” aplica-se perfeitamente a este utensílio. Caixas de transporte muito baratas geralmente são fabricadas com material de qualidade ruim. Assim, vale a pena investir um pouco mais numa caixa com material melhor, que dure mais tempo e garanta total segurança do amigo.

Aquelas feitas de plástico resistente são fáceis de limpar. É muito importante verificar se os parafusos também são resistentes, e se a trava da porta é segura o suficiente para impedir que cãezinhos mais afoitos consigam a proeza de abri-la!


O TAMANHO IDEAL

A maioria das pessoas acredita que uma caixa de transporte bem maior que o cão é muito mais confortável. Ledo engano. Cães são animais que, por natureza, gostam de tocas, onde se sentem protegidos. Assim, para saber se a caixa de transporte tem o tamanho ideal, basta seguir uma regra simples: o cachorro deve conseguir ficar de pé e dar uma volta sobre si mesmo com tranquilidade. Isto sem que "sobre" muito espaço. Assim, ele se sentirá seguro, conseguirá dormir e descansar muito bem.

COMO ACOSTUMÁ-LO?

Não basta, simplesmente, colocar o cão dentro de uma caixa, fechar a portinha e deixá-lo lá. Como tudo que se refere a cães e animais em geral, associar as experiências com algo positivo é a melhor forma de conseguir os progressos esperados.

Assim, o ideal é incentivar o cão a entrar na nova toca e, caso ele assim faça, elogiá-lo bastante. Mas deixá-lo, neste primeiro momento, livre para entrar e sair de acordo com sua vontade, ainda sem fechar a portinha.

Pode-se colocar os paninhos do cão dentro da caixa, assim como seus brinquedos preferidos, sempre lembrando de elogiar bastante quando ele estiver lá dentro. A caixa deve se tornar a casinha do cão, onde ele irá, inclusive, dormir a noite.

As refeições devem ser feitas lá dentro. Colocando o pote de comida na caixa, o cão rapidamente irá associar que ali é o seu "canto".

À medida que o cão se mostrar mais e mais confortável dentro da caixa, pode-se começar a fechar a portinha. Num primeiro momento, por alguns segundos, para abrir imediatamente depois, sem grandes alardes. Depois, aumenta-se o tempo, momentos em que o cão deve ser deixado lá com brinquedos ou ossos para que se distraia.

Quando o peludo estiver bastante confortável na caixa, já tendo eleito sua nova "casa", seu "refúgio", poderá ser deixado fechado lá durante a noite (desde que não seja muito filhote, pois precisará fazer um xixi...). Cães saudáveis, que tem atividade coerente com sua disposição e forma física, serão gratos por terem um “quarto” só seu durante o período de descanso. E o cão não está sendo, de forma alguma, maltratado.

Na maior parte das vezes, nem é necessário seguir todos os passos acima. Ao ser apresentado a uma caixa de transporte, a maior parte dos cães já passará a entrar e sair tranquilamente, sem que seja necessário qualquer estímulo humano!

TREINO PARA NECESSIDADES NO LUGAR CORRETO

Quando o cãozinho já estiver habituado a caixa de transporte, esta poderá ser um instrumento muito útil para treinar o peludo a aprender qual o lugar certo para fazer as necessidades.

Filhotes aguentam ficar apenas algumas horas sem fazer xixi ou cocô. Geralmente, depois de comer e brincar um pouco, logo procurarão se aliviar. Nesta hora, a regra de ouro: deve-se estar com ele no lugar onde ele deve fazer as necessidades, para que se tenha a chance de recompensá-lo por fazer no local correto.

Existe uma regra simples a ser seguida para saber quanto tempo o filhote pode ficar sem se aliviar: a idade dele em meses, mais 1. Assim, se o pequeno tem 3 meses, poderá ficar até 4 horas na caixa de transporte, sem fazer xixi. (3+1=4).

Calculado o tempo, deve-se deixar o filhote na caixa, descansando (filhotes brincam bastante, mas precisam dormir muito também). Após decorrido o tempo calculado, ele poderá sair e brincar no local onde deve ser o banheiro e, muito provavelmente, nesta situação surgirá a chance de recompensá-lo por fazer no local certo! Em pouco tempo, o filhote aprenderá que o banheiro é ali, onde o dono brinca com ele e mais: ele ganha recompensas quando faz o xixi ou cocô neste local!

Não há dúvidas, portanto, quanto aos benefícios de utilizar a caixa de transporte no dia a dia. Os cães agradecem a chance de realizar o "sonho da casa própria"!

terça-feira, 12 de outubro de 2010

A pergunta que não quer calar...

SITUAÇÃO 1: jovem casal passa por um pet shop e volta para casa com um rechonchudo filhote embaixo do braço. O pequeno cresce, fica grande e forte e vive feliz com o casal. Até que chega o bebê. O peludo é cada vez mais isolado do convívio com todos e começa a apresentar sinais de agressividade. Contratam ajuda profissional para que seja dado um jeito, ou vão se livrar do cão…



SITUAÇÃO 2: jovem casal escolhe um filhote lindo, cuida dele muito bem, até que vem a gravidez. Contratam profissional com a seguinte missão: ajudá-los a adaptar o cãozinho a nova rotina com o bebê, para que a convivência seja feliz e saudável.



PERGUNTA: o que será que esses exemplos tem a ver com posse responsável?

domingo, 10 de outubro de 2010

Vídeo - um verdadeiro show de adestramento!

Este é o OK Go, numa apresentação de tirar o fôlego!



O Daniel, no Blog do Cookie, descobriu um vídeo com o making of, que é interessantíssimo, pois mostra o trabalho dos adestradores (interesse ouvir o som dos "clickers" ao fundo, e as recompensas aos cães: brinquedos, carinhos e petiscos!):



sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Dicas - Como evitar que cães pulem nas visitas?

Praticamente todos que têm um cão como companhia já se depararam com a seguinte situação: uma visita chega a casa e é “recepcionada” pelo cachorro da família, que, com saltos enormes, pula nas pessoas, todo feliz e radiante...
Este comportamento costuma ser inconveniente no cão adulto e, dependendo do porte, o amigo de quatro patas pode até machucar uma criança pequena ou uma pessoa idosa. Esta é, inclusive, uma das reclamações mais comuns entre os donos de cães?
POR QUE AGEM ASSIM?
Cachorros são animais extremamente sociais, que necessitam muito do convívio com os humanos. E pular nas pessoas é uma forma que o cão encontra de interagir e conseguir atenção.
Quando há em casa um lindo e pequeno filhote, as pessoas, em geral, não costumam se incomodar com os pulos. Muito pelo contrário: acabam encorajando o cãozinho, fazendo muito carinho e pegando-o no colo!
O peludo, então, acaba sendo recompensado por aquele comportamento, já que conseguiu exatamente o que queria: atenção e contato físico!
Mas o amigo vai crescendo, crescendo... Dependendo do tamanho do cachorro quando adulto, os pulos de alegria podem derrubar uma pessoa!
E qual a reação mais natural nestes casos? Colocar as mãos sobre o cão, dizendo: “Ei, pare, não suje minha roupa!”
Para o cão, a leitura é outra: ele simplesmente acha que a pessoa está brincando alegremente com ele, já que mantém contato físico, verbal e visual!
ENTÃO, COMO EVITAR OS PULOS?
Para começar a mostrar ao cão que pular nas pessoas não é um comportamento desejado, deve-se ter como princípio básico uma atitude simples: não interagir com o cachorro nesta situação!
E isto significa manter-se parado, cruzar os braços, virar de costas e ignorar totalmente o cão! Caso os pulos se tornem mais e mais insistentes, o ideal é que o “alvo” retire-se do ambiente, só retornando quando o cachorro estiver mais calmo.
Esta medida acaba frustrando o cão, que não consegue aquilo que mais deseja no momento: interação com os humanos.

Além disso, se o cão for ensinado a sentar sob comando, fica mais fácil ainda mostrar a ele qual atitude será recompensada. Para tanto, é necessário que a pessoa ignore totalmente sinais de euforia ou pulos, diga o comando “senta” e, só então, com ele calmo e sentado, ofereça uma recompensa (um petisco gostoso) e faça bastante carinho!
Este será a “prêmio”, e o cachorro logo começará a entender que a interação será bem mais legal quando estiver calmo e sentado! Quando isto ficar bem claro, ele passará a se sentar na frente das pessoas com as quais deseja ter contato!  
ENSINAR DESDE CEDO
Para evitar situações embaraçosas com visitas – ou até mesmo perigosas, já que um cão muito grande pode derrubar alguém mais frágil – o ideal é que seja ensinado desde filhote a não pular nas pessoas.
Muitos, no entanto, gostam de receber um caloroso abraço de um cachorro grande e festeiro.
Para tanto, mais uma vez, é importante o treino de comandos: pode-se ensinar o cão a pular, batendo no peito e dizendo “upa”, ou “abraço” e somente nestas situações ele saberá que está liberado para um pulo.
Assim, fica claro que paciência e determinação são cruciais para ensinar o cão a não pular nas pessoas!

sábado, 2 de outubro de 2010

Era uma vez...

Era uma vez uma jovem menina que, apesar da pouca idade, já sofreu dores inimagináveis para muitos. E, apesar de tudo, é alegre, meiga, carinhosa, um ser que irradia felicidade e generosidade por onde passa!! 

Ela foi atrás de um sonho: ir para o Velho Mundo, viver uma vida só sua, ao lado de uma companhia para todas as horas.

Quem seria essa companhia? Uma linda SRD, alegre como ela, adotada de um abrigo em SP. Veio castrada, foi vacinada, cuidada, treinada, amada, ganhou tantos e tantos amigos com seu jeito serelepe...



E chegou a hora da despedida. Histórias como esta emocionam em razão da diferença que um cão pode fazer nos planos de vida de uma pessoa. A história de uma amizade inter-espécies que começou há alguns meses, e irá durar anos a fio...

Hasta la vista, queridas...


sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Leishmaniose - não dá mais para ficar de fora!

É preciso falar sobre leishmaniose visceral. Estudar, debater, previnir.

A doença cresce a cada dia e as maiores vítimas tem sido justo quem?? Os cães! Mas não por serem contaminados e acabarem morrendo em decorrência da doença... Não! Eles tem sido sumariamente EUTANASIADOS pelas autoridades públicas em razão de serem hospedeiros do protozoário que causa a leishmaniose!

Apesar da prevenção ser perfeitamente possível, prefere-se eutanasiar animais, ao invés de encarar o problema de frente, com seriedade! Mas é possível evitar a eutanásia, já que ninguém é obrigado a entregar seu cão às autoridades em caso de resultado positivo no exame. A doença tem tramento e é possível pleitear esse direito judicialmente.

E pior: não somente os cães são hospedeiros. Vários animais, inclusive o próprio homem! O mosquito palha é o grande vilão da história pois, ao picar um hospedeiro, pode transmitir o protozoário. Combater o mosquito é, de longe, a melhor forma de vencer a calazar!

Trata-se de uma doença grave, infecciosa, que deve ser combatida. E as melhores armas: prevenção, educação e divulgação!

O cartaz abaixo, que foi publicado e criado com a ajuda da Ana Corina, do Mãe de Cachorro, merece ampla divulgação. As informações são claras, didáticas e elucidativas:


Reflita, previna, divulgue!

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Dica: segurança dos cães no carro

Atualmente, muito se tem falado sobre o uso de cadeirinhas para crianças em automóveis, visando a segurança dos pequenos. Campanhas acerca do uso do cinto de segurança também estão sendo amplamente divulgadas, já que o simples afivelar do cinto pode evitar tragédias!


Foto: http://www.bitcao.com.br/
Mas e quanto aos peludos? Muitas pessoas costumam transportá-los soltos dentro do carro, o que não é NADA recomendável, em razão do alto risco de acidentes.

Em uma batida, um cão pode voar pelo pára-brisa e as consequências certamente serão devastadoras. Além disso, na euforia de se locomover dentro do veículo, cachorros podem distrair o motorista e um grave acidente pode começar assim...

E qual a melhor forma de transportá-los? O ideal seria que ficassem em caixas de transporte, onde tem muito mais proteção em caso de batidas. Esse é um dos motivos pelo qual acho muito interessante fazer o cão acostumar-se a uma caixa (também chamada de "crate")desde cedo. Esta pode ser sua "casinha" e ele não ficará estressado ao ser colocado nela.

Outra alternativa é utilizar cintos de segurança especialmente adaptados para cães. Várias lojas do segmento pet comercializam este tipo de produto, que pode ser visto no vídeo abaixo:

Cão na garupa da moto? Quem é o maluco irresponsável?

Um cão será sempre mais feliz se puder acompanhar seu dono em vários lugares. Mas, se o meio de tranporte for um automóvel, nunca é demais pensar em todos os detalhes para garantir bons momentos com seu peludo!

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Dicas - Como lidar com mordidas de filhotes?

Qualquer um que já tenha convivido com um filhotinho de cão sabe o quanto eles gostam de morder! Mordem mãos e pés das pessoas, sapatos, pernas de cadeiras, de mesas e, muitas vezes, um sem número de objetos tidos como "preciosos": celulares, óculos, sapatos...


E como lidar com esse "hábito" dos jovens caninos? Vamos a algumas dicas que certamente ajudarão a enfrentar este período com muito mais tranquilidade.


POR QUE MORDEM?

Cães nascem sem dentes. O tempo de erupção dos dentes de leite (decíduos) ocorre entre 3 a 12 semanas de idade. São bem finos, parecem pequenas agulhas que podem machucar as mãos dos mais desavisados!

Mas, por volta dos três meses, inicia-se a troca dos dentes de leite pelos permanentes. Sim, exatamente como com crianças pequenas: os dentinhos pequenos e fininhos caem, dando lugar a dentes maiores e mais fortes.

Esta fase se estende até por volta dos sete meses de vida. E, durante este período, poderá ocorrer vermelhidão, inchaço e irritação na gengiva, já que os dentes estarão rasgando a pele. E os filhotes precisam se aliviar de alguma forma! E como fazem isso? Mordendo tudo que encontram pela frente!

Além disso, quanto às mordiscadas nas mãos dos donos, para o cãozinho torna-se uma forma de interagir conosco, já que, dificilmente, um filhote morderá a mão de alguém sem receber alguma atenção!

Assim, sabendo os motivos das mordidas, fica muito mais fácil tomar algumas providências para evitar objetos destruídos ou mãos arranhadas (lembrando que filhotes são “arteiros” por natureza e “acidentes” sempre acabam acontecendo...).


O QUE FAZER?

Com relação ao desconforto que o filhote sente nas gengivas, o ideal é que tenha muitas opções para morder, já que este é um comportamento natural e instintivo visando alívio para as sensações ruins.

Assim, vale disponibilizar brinquedos específicos para cães nesta fase, de diversas formas, tamanhos e texturas, como ossos feitos especialmente para eles! E deixar esses objetos nos ambientes que o filhote frequenta, já que a sensação de desconforto não tem hora nem lugar para surgir...


Outra dica que auxilia bastante: congelar os brinquedos, já que o gelo tem efeito anestésico, aliviando bastante a irritação na gengiva.


AGORA MEU CÃO VAI MORDER SÓ OS BRINQUEDOS?

De nada adianta simplesmente deixar tantas opções aos filhotes, sem qualquer interação. O ideal é que todos os que convivem com o cãozinho o estimulem a ter os brinquedos na boca, elogiando-o bastante quando estiver roendo o ossinho, por exemplo.

O filhote associará muito facilmente que chama a atenção do dono quando está roendo seu brinquedo, acontecendo exatamente o contrário quando estiver mordendo algum objeto da casa.

Explicando melhor: quando o filhote estiver mordendo algo proibido, ou a mão do dono, deve sentir um desconforto, como um jato de água borrifado no focinho, seguido de um NÃO veemente e o fim da interação. Sim, o dono deve levantar-se e parar a brincadeira!

Mas, quando o cãozinho estiver roendo seu brinquedo, deve ser estimulado a tanto e bastante elogiado. Estimulá-lo a sempre pegar o brinquedo e mantê-lo na boa acaba virando uma brincadeira divertida!

Desta forma, o filhote passará a associar que os brinquedos geram alívio para a gengiva e interação com os humanos, mas morder as mãos ou objetos gera desconforto e término da brincadeira.

Prestando atenção nestes detalhes, certamente esta fase de tantas mordidas será muito mais fácil, tanto para o filhote quanto para o dono!

domingo, 19 de setembro de 2010

Cães em restaurantes - cada vez mais comum em Sampa

Recebi a matéria abaixo da querida Thaís, gostei e divulgo aqui.

O site Turismo Quatro Patas divulgou notícia veiculada recentemente: um bistrô em SP promoveu um evento bem diferente, qual seja, reuniu cães e seus donos para que estes fossem "adestrados" quanto a boas maneiras a serem adotadas por aqueles que querem levar seus amigos de quatro patas a restaurantes.

Trata-se de iniciativa muito interessante, pois não basta levar o cão ao restaurante; é preciso seguir algumas regrinhas básicas para que ninguém se incomode.

Ter a companhia dos cães em bistrôs, restaurantes e bares já é bastante comum em outros países. É importante que sejam ensinados comandos básicos aos cães ("senta", "deita", "fica" e "junto"), que devem, também, ser bem socializados.  

Se as pessoas tiverem bom senso e respeitarem os direitos dos demais, certamente este tipo de iniciativa só tende a aumentar, o que será muito legal para todos os que adoram o convívio com os cães!

A matéria começa assim:

O restaurante é francês, um dos donos é francês, o no­me é francês e, a partir de agora, o hábito dos clientes também segue à francesa.

No último domingo, o bis­trô Blés D'Or, em Moema, reuniu um grupo de donos de cães para "adestrá-los" e dar dicas de etiqueta para que seus cachorros também pas­sem a frequentar o lugar.

Cena comum nos bistrôs de Paris, cada vez mais res­taurantes de São Paulo têm aberto as portas --alguns até o cardápio-- para cachorros sentarem à mesa.

A cartilha começa em ca­sa: jamais dar comida huma­na aos animais, mesmo que façam aquela cara de cachor­ro pidão, e não permitir que eles entrem na cozinha.

Para ler o texto na íntegra, clique aqui.

A Mixi já andou conhecendo alguns restaurantes e se comportou muito bem!

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Você sabia que...

... a melhor forma de ensinar ao seu cão o local correto das necessidades é recompensá-lo no exato momento em que este estiver "usando o banheiro"?

Para tanto, o ideal é estar perto do cão após a alimentação pois, em geral, será a hora certa de aliviar-se! Com filhotes então, fica muito mais fácil: eles não conseguem "segurar" por mais de 15 minutinhos!

O mito de "esfregar o nariz" do peludo nas necessidades feitas fora do lugar só terá uma consequência: seu cão não fará mais na sua frente, pois entenderá que o errado é o ato em si, e não o local! Assim, serão muito mais raras as oportunidades que você terá para recompensá-lo...


Opss.....
Para saber mais, leia aqui e aqui artigos do Alexandre Rossi sobre o assunto.

sábado, 11 de setembro de 2010

Vote pelos animais

As eleições se aproximam e acho importante divulgar a iniciativa da WSPA Brasil - Sociedade Mundial de Proteção Animal, com atuação efetiva em vários países, visando a proteção e bem estar dos animais.

A organização fez um levantamento dos políticos brasileiros que realmente são comprometidos com a causa animal, mostrando projetos de lei e atuações dos mesmos neste sentido.

Vale a pena dar uma olhada e refletir. Penso que, se cada pessoa deste país se envolvesse seriamente com alguma causa, fosse ela qual fosse, e buscasse governantes com os mesmos ideias, certamente teríamos um país melhor e mais justo.

Assim, acesse a home da campanha:  VOTE PELOS ANIMAIS


sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Vídeo - Cadela adota filhote de leão...



Sempre acho inspiradores esses exemplos de interação entre espécies. Recebi do Dan, meu irmão, e não poderia deixar de colocar aqui:


quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Guia Básico de Cuidados para Cães III - Saúde

Dando continuidade no conteúdo deste Guia, vamos falar sobre os cuidados preventivos necessários para manter nossos cães saudáveis:

3. Saúde:

Este é, certamente, um tópico muito abrangente, pois quando se fala em saúde, devemos pensar em prevenção, sob vários aspectos. E, neste sentido, o manejo adequado no dia a dia é a forma mais eficaz de evitar doenças em nossos peludos. Aqui cabe a premissa: “é melhor prevenir do que remediar”. Seguindo-se as dicas abaixo, é bem provável que você tenha poucas surpresas com relação a eventos de doenças em seu amigo de quatro patas!

Assim, vamos aos principais cuidados necessários para sempre garantir a saúde dos cães:

Escovação: mesmo que seu cão tenha pelo curto, a escovação frequente é importante para retirar os pelos mortos, mantendo-os sempre brilhantes e saudáveis.

Cães de pelo curto podem ser escovados uma vez por semana. A escovação deve ser feita com escovas próprias que, além de removerem pelos e células mortas, estimulam a circulação sanguínea.


Pente

Já os amigos de pelo longo devem ser escovados todos os dias, para evitar a formação de nós que, se não retirados, causam grande desconforto. São necessários alguns apetrechos a mais: escova, rasquadeira e pente de metal com dentes largos e estreitos. Os nós que eventualmente já tenham se formado devem ser desfeitos com os dedos, para não causar dor (lembre-se: puxar um nó formado na pelagem de um cão é o mesmo que, para nós, ter os cabelos puxados! Nada agradável...).



Rasqueadeira

Segundo a Larousse dos Cães, aqueles que vivem ao ar livre, passam pela muda de pelo duas vezes ao ano, uma na primavera, outra no outono. Já os que vivem em cidades podem trocar a pelagem de quatro a cinco vezes no ano! Cachorros que vivem nas cidades perdem mais pelo por conta da poeira oleosa das ruas. Realmente, a poluição não faz mal somente para os seres humanos...

A escovação também é uma excelente oportunidade para estreitar laços entre dono e cão, visto que o contato estabelecido costuma ser bastante prazeroso para o cão. Além disso, para aqueles acostumados desde pequenos com este tipo de manejo, a hora da escovação torna-se um momento de deleite!

Vale também massagear seu cão neste momento, uma boa oportunidade para ativar a circulação sanguínea e ajudá-lo a associar o toque com sensações boas. Quer saber mais sobre como fazer uma massagem em seu cão? Veja neste vídeo as dicas do Alexandre Rossi.

Saúde oral, ouvidos e olhos: escovar os dentes dos cães pode parecer, para muitos, uma bobagem sem tamanho, mas os benefícios deste hábito são muito grandes! A longo prazo, o acúmulo de tártaro nos dentes pode causar infecções nas gengivas, podendo, inclusive, causar graves problemas renais. A escovação deve ser feita com escova e pastas dentais próprias para cães. Não são todos os cães que aceitam facilmente ter sua boca e dentes tocados, especialmente adultos que não tenham sido acostumados com este tipo de manejo desde pequenos. Assim, comece aos poucos, mexendo na boca de seu amigo e associando tal ato com uma recompensa bastante apreciada. Depois, dia a dia, vá aumentando o estímulo, sempre recompensando-o cada vez que permita o toque. A tendência é que ele passe rapidamente a associar este ato com um prêmio bem gostoso!



Olhos e ouvidos também demandam cuidados, especialmente para cães com orelhas tombadas (mais sensíveis a parasitas e infecções) e raças de olhos grandes (mais vulneráveis a ferimentos), como Pug, Shih Tzu, Boxer, Bulldog.

Os ouvidos podem ser limpos com algodão embebido em produto específico para este fim. Massageie a orelha, deixe o cão sacudí-la, e seque com outro algodão ou uma gaze limpa e seca.

Os olhos devem ser limpos com gaze embebida em soro fisiológico, que ajuda a limpar e umedecer, sem ferir ou irritar. É importante sempre observar vermelhidão ou sinais de um olho mais fechado que outro, que podem significar ulcerações causadas por objetos pontiagudos ou mesmo conjuntivite.

Banhos: que me perdoem os pet shops, mas banhos semanais não são o ideal para os cães! Servem apenas para os humanos, que preferem um cheiro de perfume no cão, ao invés do característico “cheiro de cachorro”! Banhos em excesso retiram a oleosidade natural da pele. Além disso, geralmente causam um grande stress ao cão, que não costumam gostar do calor e barulho do secador.
Com escovação frequente, um banho por mês é mais do que suficiente.



Algumas dicas importantes: usar xampu neutro próprio para cães, colocar algodão nos ouvidos, para evitar a entrada de água no duto auditivo e, por favor, sem perfumes! Perfumes causam verdadeira “cegueira olfativa” aos cães, já que desestabilizam todo o complexo sistema desenvolvido para enxergar o mundo através do focinho...

Vermifugação, carrapatos e pulgas: manter os cães livres de parasitas é extremamente importante para seu bem estar em geral. Pulgas em excesso podem causar irritações sérias na pele, que rapidamente podem progredir para ulcerações e inflamações graves. Já carrapatos podem ser hospedeiros de parasitas que transmitem graves doenças, como a babesiose (doença do carrapato). A utilização de coleiras, sprays e pipetas anti-pulgas e anti-carrapatos é válida, mas nunca devemos nos esquecer que são, literalmente, veneno, que podem intoxicar os cães ou, no mínimo, causar alergias. Consulte um veterinário de confiança para verificar qual a melhor indicação para seu cão.

De qualquer forma, achei no Mãe de Cachorro essas dicas de algumas receitas simples e naturais para evitar infestação por parasitas.

Consultas ao veterinário: da mesma forma que é importante para os humanos um “check up” completo e periódico, para nossos companheiros caninos também. E tal se torna ainda mais importante à medida que o cão envelhece, pois, nesta fase, geralmente começam a surgir problemas de saúde com maior frequência e gravidade.

De qualquer forma, as pessoas que realmente convivem estreitamente com seus cães conseguem identificar rapidamente sinais diferentes, que podem já ser sintoma de alguma anomalia. É o caso de levar o amigo rapidamente para uma consulta, pois tudo que for diagnosticado precocemente certamente terá maior chance de cura.

É muito importante que o veterinário de seu cão seja de sua extrema confiança. Você deve sentir que ele realmente se preocupa com seu animal de estimação e não simplesmente o vê como uma forma de ganhos fáceis.

No próximo item, ainda dentro do tema Saúde, um tópico só sobre vacinação, assunto que vem dando o que falar...
_____________________
Fonte consultada: "Larousse dos Cães"

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Dormindo....



Acho que esta pode ser chamada de a "semana dos vídeos" ! Mas não resisti, este é realmente engraçado e recebi do querido cunhadinho, do Blog do Tôca!




sábado, 28 de agosto de 2010

Raças - Dálmata



É impossível falar em Dálmatas sem lembrar do desenho da Disney, os “101 Dálmatas”... Ou mesmo da figura de um simpático cão branco com manchas pretas em cima de um carro do corpo de bombeiros!

ORIGEM

Apesar de muitas afirmarem que a origem desta raça é a Dalmácia (atual Croácia), acredita-se que seja, efetivamente, a Grécia. Há quem afirme, também, ter se originado na Dinamarca, país onde, atualmente, os Dálmatas são bastante populares.

CÃO SÍMBOLO DOS BOMBEIROS

O Dálmata dos dias atuais é classificado como cão de companhia, mas, há muito tempo atrás, era utilizado como um excelente cão de trabalho. Possui habilidades para a caça e também para seguir o dono, razão pela qual era muito comum vê-lo ao redor de carruagens, abrindo caminho para os cavalos. Aliás, por este motivo, há uma característica interessante e que pode ser observada: Dálmatas costumam gostar muito de cavalos!

Exatamente por conta disso, também começou a ser utilizado pelos bombeiros americanos, na época em que seus carros eram puxados por cavalos. E não demorou muito para se tornar o cão “mascote” dos bombeiros, sendo que praticamente todo quartel possuía um exemplar da raça!

TEMPERAMENTO E CARACTERÍSTICAS FÍSICAS

Dálmatas são cães afetuosos, alegres, muito fiéis ao dono e bastante autoconfiantes. De porte médio e pelo curto, devendo ser escovados semanalmente.

A eles deve ser proporcionado muito exercício físico, em razão de seu alto grau de energia, razão pela qual não é um cão ideal para viver em apartamentos. É bastante resistente, um cão rústico. O peso médio para os machos é de 25 kg, para as fêmeas é de 22,5 kg.

SUCESSO

O sucesso alcançado pela raça com o desenho da Disney teve também seu lado ruim: muitas pessoas resolveram adquirir um Dálmata e sabe-se que, em determinado período, o número de cães da raça abandonados em países como a Inglaterra foi assustador! Isto porque muitos, inadvertidamente, escolheram a raça pelo charme e beleza, mas desconheciam o fato de tratar-se de um cão com bastante energia que, se não canalizada de forma adequada, pode torná-lo um potente destruidor...

Assim, todo aquele que desejar ter um Dálmata como novo amigo deve estar consciente de que deverá proporcionar bastante atividade ao cãozinho, para que a convivência seja harmônica e feliz para ambos!

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Guia Básico de Cuidados para Cães II - Alimentação e Exercícios

Antes de iniciar os tópicos deste guia, vale ressaltar que o acompanhamento de seu companheiro canino por um veterinário de sua confiança é extremamente importante, visto que cada peludo é, antes de mais nada, um indivíduo, com peculiaridades específicas.

Exatamente no dia em que postei o primeiro texto sobre este Guia, recebi a preciosa dica da Ana Corina, do Mãe de Cachorro, quanto à leitura deste post do site Cachorro Verde. Coincidentemente, também aborda a questão da saúde dos animais de estimação e contém dicas que, certamente, terão muito a acrescentar a este guia, já que não pretendo esgotar o tema.

Mas vamos, finalmente, a análise dos itens:

1. Alimentação:



Restos do que sobrou do almoço para os cães, sem qualquer critério quanto ao valor nutricional? Não mais! A preocupação dos donos com uma alimentação balanceada para os amigos de quatro patas tem sido assunto recorrente em blogs, sites e periódicos especializados.

O consumo de rações industrializadas cresce a cada dia. Neste sentido, me parece que o fator comodidade explica o fenômeno: é muito mais fácil abrir um pacote de ração, despejar no pratinho do cão e pronto! Missão cumprida!

As rações disponíveis no mercado e que costumam ser as mais indicadas por veterinários são as denominadas Super Premium, que seriam as mais ricas em nutrientes (segundo os fabricantes).

Mas não se deixe levar pela linda embalagem e pelo apelo comercial! A leitura e perfeito entendimento do rótulo das rações industrializadas é extremamente importante, para que você saiba o que seu cão realmente está comendo. Ingredientes de segunda linha geralmente “incham”, mas não alimentam verdadeiramente, do ponto de vista nutricional.

A Camilli, dO Blog de Uma Criadora que Ama seus Frenchies!, publicou um post muito interessante e importante para quem quer começar a se aprofundar sobre o assunto.

Por outro lado, muito se tem falado sobre alimentação natural para os animais de estimação. O objetivo é deixar a alimentação dos cachorros mais rica em nutrientes e assemelhar-se ao que seus ancestrais comiam. Além disso, os adeptos afirmam ser mais barata que a ração industrializada e também fácil de preparar.

Ao decidir por alimentar seu cão pelos princípios da alimentação natural, você deve pensá-la e planejá-la levando em conta as características físicas do amigo: tamanho, raça, peso, grau de atividade física, etc. Balancear bem os ingredientes é essencial para que não ocorra um déficit nutricional.

Quando o tema é alimentação natural, o site Cachorro Verde é uma excelente referência. Ali é possível encontrar muita informação sobre como iniciar, quantidade, tabelas nutricionais dos alimentos, etc

Não, eu ainda não aderi a alimentação natural para a Winie... Mas devo confessar que simpatizo muito com a ideia e percebo um coro cada vez maior de pessoas adeptas desta forma de alimentar os peludos.

E por que simpatizo? Ora, para os humanos, uma dieta baseada em alimentos orgânicos e frescos, com consumo mínimo (ou nulo) de alimentos industrializados, açúcares, conservantes, etc., trará um enorme ganho em termos de saúde. A lógica é a mesma para os cães: certamente, a alimentação natural bem pensada e planejada é muito mais saudável do que rações industrializadas.

De qualquer forma, refletir e pensar cuidadosamente sobre o assunto é fator determinante para que a alimentação seja fonte de saúde e bem estar para os peludos!

Finalmente, sempre planejar a quantidade é também muito importante, já que a obesidade é extremamente prejudicial, conforme já falamos aqui.

2. Exercícios



Atividade física diária para os cães é extremamente importante para sua saúde. Se você pretende ter um cão e não está disposto a, ao menos, caminhar com ele uma vez por dia, pense bem. Manter um cão confinado dentro de casa não é nada saudável!

Recentemente, falei aqui sobre a importância dos passeios para os cães. Caminhar significa socialização com outros cães, exploração de novos ambientes e odores, estreitamente da relação com o dono.

Além disso, do ponto de vista fisiológico, o cão que está acostumado a caminhar (ou a praticar outras modalidades “esportivas”), fortalece sua musculatura, protege as articulações, melhora a condição cardiorespiratória e evita a obesidade.

Atualmente, a gama de atividades físicas que podem ser praticadas por cães é enorme. Corridas, caminhadas, brincadeiras com bolinhas, agility, freestyle (coreografias junto com os cães), jogos com frisbee, chegando até natação e hidroesteira, são atividades divertidas e cada vez mais difundidas.

De qualquer forma, uma boa (e frequente) caminhada com o dono até o parque, onde o cão pode brincar, conhecer outras pessoas e cachorros, correr e cheirar é essencial para o bem estar físico e mental do cachorro e também uma forma de estreitarem seu relacionamento.

 
_____________________________
* No próximo "capítulo" deste Guia, o item Saúde!