sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Como escolher um VERDADEIRO adestrador?

A querida Ana Corina publicou hoje, lá no Mãe de Cachorro, um post falando sobre cuidados ao escolher um adestrador. Achei bastante conveniente e útil, mas é preciso levar também em conta o outro lado da moeda: adestradores sérios e dedicados acabam sofrendo preconceito em razão da conduta incorreta de outros!

Como em qualquer profissão, existem bons e maus profissionais. Eu, particularmente, classificaria os que se intitulam "adestrador" apenas para ganhar um extra no fim do mês como oportunistas! O problema é que a fama acaba se estendendo para outros adestradores comprometidos, o que é bastante ruim.

O maior problema é que, no Brasil, não há regulamentação (ainda) para a profissão. Assim, não há quem fiscalize o trabalho deste profissional. Mais uma brecha, portanto, para o surgimento dos espertalhões de plantão.
  
Segundo o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, adestrar significa "tornar capaz, hábil (em alguma coisa); habilitar; preparar". Assim, o adestrador de hoje é o profissional que habilita o animal a conviver melhor com o ser humano. Ou seja, torna o cão capaz de entender o que o dono deseja. Atender a comandos nada mais é do que isso: o animal aprende a identificar sinais (gestos e palavras) e reagir a eles.

Adestrar, portanto, significa criar um canal de comunicação com o cão, já que ele entenderá o que o dono deseja e este, por seu turno, naturalmente começará a observar mais e melhor o comportamento de seu peludo. Isto, certamente, é bom para todos, facilita a convivência e traz muitas alegrias!

Muitos profissionais atualmente preferem ser conhecidos como educadores caninos, psicólogos de cães, professores de cães, para fugir da qualificação "adestrador", já tida como pejorativa. Mas o termo correto e que define bem o trabalho é adestrador. Este é o profissional que torna os cães (e animais em geral) aptos a obedecerem comandos, respeitarem limites, serem mais sociáveis.

Quanto a técnica, basta uma rápida pesquisa para constatar que o reforço positivo (método onde o cão aprende com base em recompensas valorizadas) é a forma mais eficaz, segura, tranquila, respeitosa e correta de ensinar um animal. E mais: os resultados aparecem rapidamente e o cão GOSTA de aprender assim! Ou seja, um adestrador atualizado usará o reforço positivo como método de aprendizado.

Assim, para complementar as dicas já dadas pela Ana em sua coluna de hoje, seguem mais algumas a serem seguidas por todo aquele que deseja contratar um adestrador:

* o adestrador sério adora cães e animais em geral. E isso é algo que não se consegue fingir. Portanto, é importante verificar como o profissional trata o cão;

* o adestrador sério respeita os limites físicos do cão, e não irá forçá-lo a fazer movimentos que possam comprometer sua saúde, nem submetê-lo a exercícios exaustivos;

* o adestrador sério é muito paciente. Paciência é o maior segredo do adestramento. Cada cão, cada animal tem seu ritmo de aprendizado, e isto pouco tem a ver com raça, mas sim com individualidade de cada peludo. Um adestrador que se irrita quando o cão não obedece ou não aprende logo não é um bom profissional;

* o adestrador sério se preocupa com a segurança dos cães, das outras pessoas e com a sua. Não se deve confiar em adestradores que garantem que o cão pode andar solto na rua: acidentes e tragédias acontecem aos montes por este motivo. Além disso, para lidar com um cão agressivo, o adestrador se cercará de cuidados para que ninguém saia ferido e jamais entrará em confronto físico com o cão;

* o adestrador sério sempre vai querer os donos presentes nas aulas. Não há nada mais gratificante para um adestrador do que ver o cão e o dono interagindo, o cão executando comandos e sendo alegremente recompensado pelo dono!

* o adestrador sério fez e faz constantemente cursos para se manter atualizado sobre as melhores técnicas de treinamento;

* o adestrador sério estuda o comportamento canino e ensina aos donos a linguagem do cão, que é diferente da nossa. Assim, identificando os sinais, fica muito mais fácil entender algumas reações do peludo e saber como agir;

* o adestrador sério ama o que faz e demonstra isso o tempo todo, de forma natural e sincera!

Finalizo com uma afirmação, feita com muita sinceridade: eu sou ADESTRADORA, com muito orgulho!

Observação: quer se aprofundar mais sobre o assunto? Clique aqui e leia o posicionamento da AVSAB - American Veterinary Society of Animal Behavior sobre como escolher um adestrador.  

Alerta! É terminantemente proibido copiar os artigos deste blog sem citação da fonte. Plágio é crime previsto no Código Penal.

8 comentários:

  1. Cá, eu amei o post! Muito esclarecedor!!!! :D

    Parabéns pela profissão, te admiro muito! :*

    ResponderExcluir
  2. Olá eu acho que a Ana jogou fora todo o trabalho de adestradodes competentes com o mau uso de suas palavras.
    Se ela fosse especialista, tivesse experiência noassunto tudo bem, mas pelo que vi ela não é... não se pode jogar o trabalho de anos e anos de pessoas que estudam o comportamento canino e das diferentes raças e classificar de uma maneira simplória o que é ser um bom adestrador.
    vc fez muito bem em tomar partido e mostrar o outro lado da moeda, porque depois de ler um post daqueles todos os donos de cães vão ficar neuroticos e achando que sabe o que é ser um bom adestrador!
    Abraços,
    Isa

    ResponderExcluir
  3. Cassia, adorei seu post. |Com certeza você se encontrou nessa profissão, é a sua cara.
    bjos
    Dani

    ResponderExcluir
  4. Discordo da Isa!
    Acho que ela não compreendeu a mensagem que a Ana Corina passou, bem menos a importância do conteúdo que ali consta. Eu como Educadora de Cães (pois, EU prefiro o termo, já que acho que melhor define o MEU TRABALHO, e que engloba o adestramento) levanto a bandeira da necessidade SIM em alertar as pessoas sobre os terríveis males que os cães podem vir a passar nas mãos de péssimos treinadores/adestradores/educadores... Antes de ser uma profissional séria, eu sou uma humana apaixonada por cães e qualquer outra forma de vida animal.
    O Objetivo é alertar SIM as pessoas qnto a escolha do profissional. EU já vi, e ainda vejo muito absurdo acontecendo por ai, e infelizmente, os ruins ainda são a maioria. Já que a maioria dos "treinadores/adestradores/educadores de cães" ainda seguem a linhagem militar. Como profissional acho muito importante divulgarmos a diferença e ensinarmos às pessoas como escolher bem os profissionais para evitar antes de qualquer outro objetivo, que mais animais continuem sendo torturados. SOU CONTRA O USO DE ENFORCADORES, TRANCOS, reforço negativo e CASTIGO POSITIVO! E creio que o post da Ana jamais prejudicou ou prejudicará a imagem dos bons profissionais.

    Cassia,
    parabéns pelo post!!
    Excelente!!
    Amor e Luz!!

    ResponderExcluir
  5. Olá, Isa! Eu acho que a Ana não prejudicou a imagem de profissionais comprometidos, mas achei importante destacar bem que estes existem e vamos torcer e lutar para que se tornem maioria em breve! Obrigada pelo comentário!

    Oi, Emanuelle! Obrigada por enriquecer a discussão e ser mais uma a ajudar a divulgar o trabalho de pessoas que realmente amam os cães, em deterimento dos abusos que, como você disse, ainda existem por aí. Já visitei seu site e gostei muito do seu trabalho! Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Dani e Pri! Queridas amigas, sempre presentes, sempre carinhosas... Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Cassia,
    Também amei seu post! Parabéns!

    ResponderExcluir
  8. Passando para desejar um ótimo dia e uma exelente semauninha!

    Lambeijokas

    Lola

    ResponderExcluir

Gostou do que leu? Vamos trocar ideias sobre o assunto? Comente aqui!

OBS.: não serão publicados comentários contendo xingamentos, palavrões, ofensas ou incitação a violência contra animais e/ou pessoas.