terça-feira, 6 de julho de 2010

Comportamento canino - agressividade III - a raça influencia?

É impossível refletir sobre agressividade canina sem que nos venham à mente as chamadas “raças assassinas”: Rottweilers, Pit Bulls, Starfordshire Terriers, Filas Brasileiros, dentre outras...

Mas até que ponto pode-se realmente afirmar que um cão representará risco apenas por pertencer a determinada raça?

Antes de qualquer coisa, é importante mencionar que reações agressivas em geral são normais entre os cães, já que, muitas vezes, trata-se da forma como eles resolvem determinados problemas sem que tal resulte, necessariamente, em perigo ou numa condição patológica.

Um exemplo: uma pessoa está com seu cão num parque e outro amigo de quatro patas, muito mais efusivo, se aproxima, pula, cheira, dá pequenas mordiscadas, até que o cão mais tranquilo dá seu aviso de “chega para lá”, rosnando e se projetando para frente. Qualquer um que tenha cão certamente já se deparou com uma situação semelhante a esta. E como o cão que estava sendo “importunado” resolveu a situação? Demonstrando agressividade. Isto, por si só, o torna um cão perigoso? De forma alguma.

A questão principal é verificar se a reação agressiva deve ser interpretada como normal ou anormal. Cães que apresentam reação agressiva normal o fazem em circunstâncias que a justificam, mas são capazes de inibi-la. Já cachorros que apresentam comportamento agressivo anormal percebem ameaças onde elas não existem e tem muito mais dificuldade em modificar suas respostas a este suposto perigo. Para estes, a assistência de um especialista em comportamento animal torna-se essencial.

Além disso, o comportamento agressivo pode ser influenciado pela genética, experiência ou uma combinação das duas situações (como é mais provável).

Feitas essas considerações, voltemos às raças. Realmente, há algumas raças predispostas a certos tipos de agressividade, como cães de guarda, que podem ter tendência a agressão territorial. Mas é muito importante destacar que cães de qualquer raça podem demonstrar agressividade! “Rótulos” baseados unicamente na raça do cão costumam gerar mitos que sobrevivem como verdades absolutas!

Postei recentemente um vídeo que mostra um lindo e gigante Fila Brasileiro, absolutamente dócil e submisso a uma criança bem pequena...

Aqui, o lindo Krueger, um Rottweiler que vive com seus donos, Carol e Régis e é um dos cães mais dóceis que já conheci:

Krueger e Nemo - convivência pacífica

Enorme, mas extremamente meigo!

Sim, é possível! Não é montagem!

Evidentemente que há relatos de agressão dirigida a pessoas e outros animais, perpetradas por cães de guarda, assim como acontece rotineiramente com cães de companhia. Mas, evidentemente, a gravidade de um acidente com cães grandes e fortes acaba sendo o combustível para muitos discursos vazios e inflamados...

Se a pessoa tem um cão grande, forte, com acentuado temperamento de guarda, deve tomar todas as cautelas necessárias para que a convivência seja pacífica, em todos os âmbitos. Caso não pense assim, não deveria ter qualquer cão como companheiro.

Assim, antes de catalogar um cão como agressivo e perigoso apenas pela raça, importante analisar seu temperamento, o meio em que vive, como é tratado pelas pessoas e as situações em que eventualmente se mostra agressivo.

P.S. – este texto estava pronto desde ontem. E hoje, ao revisá-lo, me deparei com este vídeo no Mãe de Cachorro. Mexeu profundamente comigo... E, em pouco mais de 3 minutos, resume de forma maravilhosa todo o conteúdo acima:


 
Fonte de Pesquisa: "Comportamento Canino e Felino", Debra f. Horwitz e Jacqueline c. Neilson
Fotos: Carol Martins (obrigada, querida!)
Alerta! É terminantemente proibido copiar os artigos deste blog sem citação da fonte. Plágio é crime previsto no Código Penal.

10 comentários:

  1. Oi, você sabia que a minha melhor aumiga é uma São Bernardo, tem fotinho nossa juntas no meu cãotinho...

    Lambeijokas e Aubracinhos

    Lola

    ResponderExcluir
  2. Que legal, eu vi as fotos no Cãotinho! Como é bom conviver bem com um "aumigo" tão grande, não é? Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Bom, além do Krueger ser realmente dócil (apesar das investidas do Nemo e da "ranzinzice" da Penélope!), ele estava com uma "professora" super competente e querida...
    Um beijão!

    Ju & Sascha

    ResponderExcluir
  4. Tia Cássia, estou com saudades das nossas aulas!
    Um beijão do Nemo

    ResponderExcluir
  5. Nemo é um excelente "aluno"! Bjs

    ResponderExcluir
  6. oi Cássia!
    O Krueger pediu pra reservar uma vaga para ele treinar junto com a Penélope na semana que vem! :D
    (adoramos o texto e já encaminhei pra meio mundo, tipo 'mãe orgulhosa'! rsrs)
    Beijos,
    Carol, Regis e Krueger

    ResponderExcluir
  7. Oi, Carol! Que bom que vou revê-los e ao Krueger! Será uma alegria! Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Olá Cassia,

    Parabéns,adorei seu blog.
    Tenho abrigo e trabalho com cães e gatos há muitos naos.
    Pergunto se poderia adicionar meu site e seu blog.
    veja nosso trabalho em www.amoraosanimais.com
    Um abraço e obrigada,
    Birgit

    ResponderExcluir
  9. Olá, Birgit! Parabéns pelo trabalho no Amor aos Animais! Iniciativas assim realmente merecem divulgação! Abraços!

    ResponderExcluir

Gostou do que leu? Vamos trocar ideias sobre o assunto? Comente aqui!

OBS.: não serão publicados comentários contendo xingamentos, palavrões, ofensas ou incitação a violência contra animais e/ou pessoas.